POR QUE NOS ESCOLHER?

A M.Quality (“MQ”) é a única agência brasileira capaz de fazer o seu intercâmbio de estudos ou de imigração para a Austrália que possui uma licença valida pelo governo australiano;

Esta licença governamental nos obriga a possuir um seguro. Isto significa se algo der errado dentro dos termos contratuais, o seu reembolso está GARANTIDO em 100% ! Esta garantia você não encontra fora da MQ;

Os valores de nossos serviços são menores que qualquer outro concorrente;

Somos a única agência brasileira que oferece exclusivos serviços de apoio de recolocação profissional no mercado de trabalho australiano;

Temos mais de 16 anos de experiência! Confira este fato: temos o único agente de imigração brasileiro com mais de 16 anos de experiência e segundo os dados estatísticos recentes das autoridades imigratórias australianas o mesmo faz parte do seleto grupo de 26% de agentes de imigração com mais de 10 anos de experiência.




Saiu na Exame: " Austrália registra forte expansão no setor de engenharia e construção civil, com sobra de empregos para profissionais qualificados"

01/2018

 

Processo de imigração de engenheiros exige conhecimento técnico rigoroso, mas dá acesso à robusta e diversificada indústria no país.

O setor de construção e engenharia da Austrália está encerrando 2017 com índices de crescimento e geração de empregos que impulsionam a economia do país não só neste ano, mas também no próximo biênio. A previsão do Australian Industry (AI) Group é de alta de 7,1% nos valores totais de projetos entre 2017 e 2018, e de 6,8% no ano fiscal 2018-2019. Os índices médios de empregabilidade aproximam-se de 100% nessa indústria. Com isso, a necessidade de profissionais qualificados cresce exponencialmente, o que representa um momento decisivo para engenheiros brasileiros interessados em trabalhar na Austrália.

Os números são sustentados por investimentos nos mais diferentes segmentos. Obras de infra-estrutura de transportes são destaques entre gastos públicos em rodovias, ferrovias, pontes e novo aeroporto em Sydney. Os aportes para melhorar a mobilidade urbana de grandes centros são também significativos. Somente no estado de New South Wales, 73 bilhões de dólares australianos (ou R$ 182,5 bilhões) são investidos em projetos de contorno rodoviário, nova travessia da baía de Sydney e conexões com trens ou bonde.

Na engenharia de telecomunicações, o investimento mais expressivo é nacional (de AUD 50 bilhões até 2020 – ou R$ 125 bilhões), com a criação da estatal NBN, responsável por planejar, construir e operar no atacado toda a rede de banda larga de fibra ótica do país. Com metas de levar internet com fibra ótica a toda a população, a NBN pressiona a modernização do setor de telecom e sua migração para um regime de livre concorrência, movimentando mais aportes privados.

Em função desses exemplos, os valores dos projetos específicos de engenharia devem crescer 8% no acumulado no ano fiscal 2017-2018, chegando a 10,6% em 2018-2019. Segundo o AI Group, a construção de projetos comerciais também impulsiona o aumento do investimento privado em 10,3% e 12,7%, respectivamente nos dois períodos.

A indústria naval também reforça a expansão do setor de engenharia e construção. O governo federal está investindo AUD 48 bilhões (ou R$ 123 bilhões) na construção de 12 submarinos em Adelaide (South Australia). Esses valores se somam a outros AUD 35 bilhões (R$ 87,5 bilhões) no estaleiro da cidade, onde serão construídos 54 novos navios para patrulha de fronteira e offshore. Engenheiros navais estão sendo demandados para atuar também em Perth, o que evidencia a diversidade regional das ofertas de trabalho.

“As boas notícias do setor de engenharia e construção renovam o otimismo na economia australiana, mas são um incentivo ainda maior para os profissionais qualificados que aguardam uma oportunidade para viver e trabalhar aqui”, avalia MaCson Queiroz JP, diretor da M.Quality, única agência brasileira credenciada de imigração e negócios com 16 anos na Austrália. Como engenheiro residente e certificado no país há 25 anos, ele tornou-se o único especialista em serviços de imigração desses profissionais no país – um processo complexo, mas que abre caminho a brasileiros qualificados para atuar nessa indústria.

Oferta de empregos

A chegada de engenheiros de outros países é considerada a única saída neste momento para suprir a demanda por profissionais qualificados no setor australiano. Entidades locais que representam a profissão, como a Engineers Australia, avaliam que o sistema educacional no país ainda precisaria ser reestruturado para formar mais engenheiros. No curto e médio prazo, porém, o governo tenta atrair os estrangeiros para as funções abertas em praticamente todas as regiões.

No estado de Western Australia (cuja capital é Perth), por exemplo, há obras voltadas à exploração de gás natural e de construção de 15 novas minas das mais diferentes commodities (ouro, lítio e ferro estão entre as principais). Naquela região, sobram empregos: segundo a DFP Resources, 29,6% das ofertas de trabalho ainda não haviam sido preenchidas por falta de profissionais entre janeiro e agosto. As novas vagas para engenheiros em toda a Austrália aumentaram 21,5% apenas no primeiro semestre de 2017.

Reconhecimento profissional

Porém, os engenheiros brasileiros interessados em aproveitar o novo boom do setor na Austrália devem passar por um rigoroso processo de reconhecimento profissional. “A validação da formação universitária e da experiência de trabalho exige a comprovação técnica de que o profissional realmente domina o que o governo considera como as habilidades essenciais do engenheiro”, esclarece Queiroz, da M.Quality.

Como o departamento de imigração não reconhece que o curso universitário no Brasil é equivalente ao australiano, o engenheiro que requer o visto de trabalho deve apresentar informações adicionais. “Uma das formas criadas pelo governo da Austrália para avaliar as habilidades do profissional é exigir dele a apresentação de três narrativas técnicas de trabalhos específicos de engenharia”, especifica Queiroz. O detalhamento dessa documentação exige conhecimento sobre itens a serem descritos nessas narrativas. “Não se trata de um processo imigratório igual a outros existentes na Austrália: no caso dos engenheiros, a preparação e a checagem da documentação exigem um acompanhamento e uma linguagem também técnicas”, completa o diretor da M.Quality.

Engenheiros brasileiros interessados no processo de imigração para a Austrália devem inicialmente verificar se atendem aos critérios de elegibilidade ao visto de trabalho. O Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras recomenda que apenas agentes credenciados pelo governo sejam contratados para o processo.

Sobre a M.Quality

A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há 16 anos. A M.Quality foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo.

Fonte: Exame - https://exame.abril.com.br/negocios/dino/australia-registra-forte-expansao-no-setor-de-engenharia-e-construcao-civil-com-sobra-de-empregos-para-profissionais-qualificados/